Corroios deu à luz um FATO FETO!

Originally posted 2018-10-27 22:35:04.

FATO FETO VENCEM CORROIOS

Terminou no passado Sábado a 14ª edição do Festival de Música Moderna de Corroios. Tal como eu tinha previsto, qual mago perante a minha transparente bola de cristal prevendo o futuro, os vencedores, do festival, tendo em conta que os HOT LIMOUSINE ficaram pelo caminho, foram os FATO FETO de Évora, como que a provar que o “deserto” também pode produzir. O deserto tem destas surpresas. Além do sol e da seca, tem sempre algo para molhar o bico…
O FATO FETO são efectivamente, viscerais. Interpretações com alma, alentejana, portuguesa. Quase que o som é o que menos importa, face às interpretações sentidas do Cláudio (voz). Deles dizem os próprios serem “membros de influências particulares, juntaram-se para compor música original, na tentativa de criar uma identidade própria. O estilo enquadra-se no rock “progressivo” cantado em português; progressivo no sentido que progride para uma evolução natural da música. A dicotomia “fato/feto” realça a vida de um ser humano desde as suas primeiras sensações até ao auge do seu potencial” (myspace da banda: www.myspace.com/fatofeto ).
No que concerne à música o melhor é sempre ouvir. Passem pelo myspace da banda enquanto não é editado o disco a que dá direito o primeiro lugar do FMM de Corroios. Mesmo os amantes de outros géneros tenho a certeza de que vão gostar.
Sem desmerecer dos outros projectos finalistas, os FATO FETO eram, a meu ver, os que tinham, de facto, algo que os distinguia. Por isso o júri os terá escolhido, digo eu.
O Festival terminou com a actuação dos LINDA MARTINI, SONIC YOUTH à portuguesa, digo eu!
Todas as fotos se encontram no albúm respectivo.
Espero que gostem.
E no que respeita a Corroios, Festival, adeus e até para o ano.

Vendaval em Corroios!

No passado Sábado teve lugar a última eliminatória do concurso integrado no XIII Festival de Música Moderna de Corroios. Foram concorrentes MAD DOGS e THE PROFILERS, aqueles do Porto, estes de Sintra. Convidados, os justos vencedores do ano de 2007, THE CYNICALS.
Este ano nem uma palavra tinha ainda escrito sobre o festival. Coisa estranha, mas, a meu ver, justificada, como passo a explicar.

Miss Lava

VALIENT THORR + MISS LAVA no Musicbox

Ó meus amigos, vocês pensam que isto é o quê? Ai o carago! Bem…
Hoje é sábado e no dia 22 os portugueses MISS LAVA abriram uma cratera de gigantesca dimensão de onde, além de lava incandescente, emergiu o próprio Lúcio Ferreira, mais conhecido por Lúcifer, aka, Valient Himself. Ah pois! Para ser sincero não sei como é que o Musicbox não pegou fogo e ardeu por completo, deixando apenas cinzas fumegantes com odor a rock’n’roll na Rua Nova do Carvalho (ainda por cima madeira)!

Lolly POPPERS

Originally posted 2018-10-11 14:39:43.

THE POPPERS, “Up With Lust”, no meu aniversário

LUIS RAIMUNDO - THE POPPERSA sério: jurei a mim próprio que ia beber uma chá e pronto!
Mas não, não me contive e agarrei-me ao teclado tal qual um alcoólico se agarra à garrafa, com desejos de a estafar em menos de nada.
Isto porquê? Para vos falar, escrever será melhor dito, sobre o fim de semana que passou.
Foi um GRANDE fim de semana.
O meu aniversário foi no dia 20! Logo, o plano era: FIESTA! Olé, que eu gosto de estar vivo e comemorar os anos. Não tenho nada que ver com os/as palermas que deixam de fazer anos numa determinada altura: os homens talvez quando começam a perder a tusa e as mulheres a ficarem com as mamas junto dos joelhos! Não sei. Sei que eu faço questão de fazer anos.
Dia 20 THE POPPERS apresentavam o seu “Up With Lust”, no São Jorge, em Lisboa, numa noite que havia de ser de chuva. Choraram os céus de alegria pelo extraordinário concerto que estava para acontecer.
Assim sendo e querendo a malta ir ver e fotografar os POPPERS para depois ir até ao Europa para mais uma festa MOD, havia que traçar outro plano. Nem mais: comemoram-se os anos de 19 para 20, numa pizzaria, no Estoril, que dá pelo nome de DON FORMAGGIO e já está. Pois claro. Bem pensado.
Assim dia 19/20 festa de anos, com convidados e a música que não podia faltar. Abrilhantaram a noite aos que para sempre ficarei grato OS LÁBIOS, projecto musical nascido das cinzas dos THE PROFILERS e o Miguel Ângelo com o Mário Andrade, dos idos DELFINS. Os primeiros cantaram coisas novas e que estão para ver a luz do dia no seu próximo disco que está na forja e os segundos temas dos já saudosos DELFINS. Tudo acústico. Para eles o meu imenso obrigado. As fotos do evento estão AQUI.
Mais ou menos recuperados da noite anterior fomos até ao São Jorge ver e ouvir o garage pop dos THE POPPERS. Uma excelente presença em palco, um som muito bom e canções realmente excepcionais. Sala cheia para ver os quatro dos Olivais. Passeios por entre o público de Raí empunhando a sua Gibson em comunhão com os fiéis. Versão ou cover, como quiserem, de Phsyco Killer dos TALKING HEADS, incomum e com sotaque muito próprio.
À vontade para fotografar com flash sem flash como se quisesse, o que é sempre bom.
Quem pagou bilhete teve direito ao vinil e CD de “Up With Lust”, uma injecção de adrenalina.
Uma chupadela valente nos lolly POPPERS que soube muito bem.
As fotos dos THE POPPERS inauguram o meu novo espaço virtual www.arlindopinto.com AQUI. Disto ainda havemos de falar para ficarem a par do que se passa nos filamentos pensantes do meu cérebro alucinado.
Stay clean!

O sono é o inimigo!

“They sound mighty, like Status Quo raised on Minor Threat.” – NME Magazine
Danko Jones has been building an astonishingly solid base for a decade. ‘Rock by rock’, they have proven that they are the loudest, proudest, most suave, sexiest, heaviest, heartiest power trio in the world.
Their last album – their second – WE SWEAT BLOOD (2003), was just the rock n’ roll explosion the world needed.

DAPUNKSPORTIF: guitarras à solta!

Originally posted 2018-10-01 09:26:40.

DAPUNKSPORTIF ENCHERAM MUSICBOX

Sábado, dia 23 de Janeiro do corrente ano de 2010, os DAPUNKSPORTIF, estiveram no Musicbox, ali ao Cais do Sodré, em Lisboa, para um excelente momento de Rock’n’Roll. Ah pois é! Nados em Peniche, têm já no curriculum dois discos de se lhe tirar o chapéu: “Ready!Set!Go!” e “Electro Tube Riot”. Este mais apurado, mais consistente e mais “mainstream”, com um Rock, ritmado, frenético, com passadeira vermelha para as guitarras e um baixo furioso.
Já tive oportunidade de assistir a vários concertos destes “punk desportivos” e é minha opinião, que o concerto de sábado no Musicbox, foi o melhor que já vi/ouvi! Por várias razões, das quais alinhavo aqui estas:
1- O alinhamento dos temas proporcionou uma avalanche de ritmo desvairado até cerca de 2/3 do espectáculo, capaz de fazer dançar um morto. Sobressai o cuidado com que a banda de João Guincho e Paulo Franco urdiu o “set” de modo a agarrar o público “by the balls”, só largando para descansar com uma prodigiosa “cover” de “White Wedding” de Billy Idol, retomando logo a seguir a viagem vertiginosa pelos seus temas mais sonantes;
2- Todos os instrumentos soaram “enxutos” e consistentes, como deve o Rock’n’Roll: um ribombar seco e profundo no peito da audiência. O som esteve na fasquia do irrepreensível, muitíssimo perto do espectacular;
3- A banda tocou afinada, mesmo quando quis descansar e improvisar um pouco, estendendo um ou outro tema para além da sua normal duração;
4- O público encheu o Musicbox e comungou dos mesmos ideais, não direi de vida, os hippies morreram há muito, mas de festa, cerveja e rock, entoando refrães, notando-se que conhece o trabalho dos moços de Peniche.
Bom, chega.
Fui lá fotografar de equipamento emprestado, uma vez que o meu continua no estaleiro. Por falar nisso tenho que ligar lá para a J. Matos, representante da Nikon cá pelo burgo, a alertá-los de que o prazo de reparação foi há muito ultrapassado, mesmo tendo recebido 240 € adiantados. Pois é, “quem paga adiantado é mal servido”! Às vezes o povo tem razão.
Espero que gostem das fotos. Ficam na Galeria dos DAPUNKSPORTIF. Não confundam com as anteriores. Basta estarem atentos à descrição… Eu gosto!
Fica ainda um “mobile vid” de “I’ve been all over town looking for you”, que fiz entre disparos…
Stay heavy!
P.S.: prosa escrita ao som de “Sin”, dos MOTHER SUPERIOR!

I’ve Been All Over Town Looking For you