XV Festival de Música Moderna de Corroios Sessão IV

Originally posted 2018-02-21 01:53:35.

UANINAUEI – IBRIDA + DAPUNKSPORTIF

Boa noite!
Não ‘tou com pachorra!
Tenho andado numa azáfama muito grande, pronto.
Tenho até de quando em vez pensado como é que aqueles da EDP e da PT ganham aqueles milhões todos só por respirarem. Confesso que até fico com inveja, mas acima de tudo fico estúpido. Fico até e também, com a sensação que o governo do nosso país é um bocadinho néscio. Revolta-se-me a figadeira toda, ainda que se possa tratar de uma pequena isca. Pergunto-me como é que os tais 10 milhões (também não passamos disto), se deixam assim sodomizar em silêncio, sem rebentarem com absolutamente nada, atidos aos sindicatos com maior descrédito na praça do que os taxistas do aeroporto. Pois sim, somos ainda de brandos costumes. O vovô Salazar deixou escola: tudo caladinho, que nós não somos de arruaças, qu’é lá isso. Então agora a classe trabalhadora, a que desconta, ia dizer que não (com convicção) e exigir que todos pagassem impostos, que não fossem insultados quando lhes esfregam na probóscide os milhões dos gestores que, coitados, até ganham menos 35% do que os seus congéneres europeus. Aperta-se-me o coração de saber isto. Sabê-los assim, na mais clara miséria, impossibilitados de comprar um Rolls Royce ou até um miserável Lexus. Coitados, coitados. Por mim estou disposto a fazer um espectáculo de beneficência em prol destes deserdados da sorte.
Olhem, podia ter-se aproveitado a sessão de sábado passado em Corroios, no Festival de Musica Moderna, para começar. Bom também não íamos muito longe no apoio àqueles desgraçados. Não estava muita gente para ouvir os UANINAUEI, alentejanos dos quatro costados, os IBRIDA e os convidados DAPUNKSPORTIF. Estavam para ouvir mas não ouviram! Não ouviram os IBRIDA que à última hora se devem ter desentendido ou perdido na estrada de Braga até Corroios e ficaram, por aí, na Mealhada comendo do belo leitão.
Assim, os UANINAUEI (digam em inglês que é mais fácil) tiveram direito à sua parte de concorrentes e, para encher chouriços, mais um bocado de palco para entreter a malta, enquanto não chegava a hora dos DAPUNKSPORTIF. Os …EI portaram-se muito bem e outra coisa não se esperava dos DAPUNK que palmo a palmo vão fazendo a sua carreira, cultivando um estatuto de banda “pró” e impondo o seu extraordinário som. Sou fã!
Das sessões em que estive no festival, fiquei contudo com a sensação que o este ano a chama é ténue e reina um certo descuido. Aliás, quem estava mais atento percebeu perfeitamente que durante a actuação dos DAPUNK houve falhas técnicas da responsabilidade do festival. Os Músicos falavam entre si e pouco se afastavam das suas marcações, sinal de falta de monitorização no palco. Algo que só um técnico atento poderia, eventualmente, corrigir. Não foi o caso. Apesar de tudo a imagem do Festival está este ano melhor do que em qualquer dos outros. Contradições! Mas como viver é estar em contradição…
No final ficaram as fotos e o som, ainda assim, para quem ouviu, com nota positiva.
Cliquem nas fotos para verem o que se passou por lá.
See ya!

THE HYPERS vencem Corroios 2010

Originally posted 2014-02-23 19:51:19.

THE AMAZING FLYING PONY + UANINAUEI + THE HYPERS + PEIXE:AVIÃO, Corroios, 27.03.2010

A mim só não me sai o totoloto ou o euro milhões porque não jogo. Jogara eu e estaria podre de rico… ou só podre, pronto. Mas podre eu estava.
Ora, isto porquê, perguntam vocês. Porque eu sou bruxo! Tenho um dedo que adivinha e que também faz outras coisas, sou sincero. E quem a diz a verdade não merece castigo. Ora, vem isto a propósito de… ah, sim, já me lembro: XV Festival de Música Moderna de Corroios.
Este ano só estive em duas eliminatórias e na final, pelo que assim sendo, só me posso pronunciar sobre o que vi, ouvi e fotografei. Pois bem, assim sendo, e como não estive na eliminatória ganha pelos AMAZING FLYING PONY (adorava ter um), o tal meu dedo já me tinha dito que na final estavam certinhos THE HYPERS e que os UANINAUEI (digam em inglês: one in a way) estavam com um pé lá e outro a caminho. Quem ganharia? Hum! Bem, quem está por dentro do meio sabe: THE HYPERS têm dado brado: os moços põem muito empenho naquilo que fazem, fazem-no bem e à boa velha maneira do Rock’n’Roll. Por aí, para mim já estavam a amealhar pontos. Mas como o júri é quem manda, então que mande. E mandou! Mandou que a XV edição do festival de Corroios, fosse vencida, guess what, pelos… THE HYPERS. E mais: o júri do concurso da mesma índole de Setúbal mandou, na mesma noite, a mesma coisa: ganhem THE HYPERS. E foi assim, como mais tarde um dia os anais do rock luso hão-de dizer, que THE HYPERS venceram dois concursos na mesma noite! Isto é orgásmico e faz dos HYPERS um fenómeno à escala intergaláctica, uma vez que não consta que em qualquer outra galáxia a mesma banda tivesse ganho dois concursos roqueiros na mesma noite e fosse ela um power trio armado até aos dentes de electricidade (devem ter uma conta da EDP, upa, upa).
Mas os restantes projectos não ficam atrás e por alguma razão estiveram na final. Mas nestas coisas só há um prémio e pronto. No entanto, o segundo lugar de Corroios, já deu excelentes frutos que rolam por aí. Por isso, malta de Coimbra e de Évora, é continuar a dar-lhe e enquanto o ferro está quente (por falar em ferro, já uns tempos que não vejo os FERRO & FOGO).
Os AMAZING FLYING PONY são de terra de boas colheitas: Coimbra! No fado como no rock, parece que a cidade continua a ser de tradição. Coimbra tem dado à música nacional grandes projectos. Os PONY têm uma vocalista giríssima e ainda por cima têm um som bom, bom! Gostei e recomendo.
Os (digam em inglês: one in a way) UANINAUEI misturam géneros, cantam em português e, para alentejanos, não me parecem nada lentos. Ao contrário, dão-lhe com “speed”: um turbo de 4 vias (Isto existe? As 4 vias. É uma metáfora, sei lá: quatro músicos, quatro vias.). Gostei deles.
Vão até ao myspace das bandas e inteirem-se do som! Vão ver que vale a pena.
Os PEIXE:AVIÃO encerraram a noite. Foram os convidados de honra da final e soam de forma mais estranha.
As fotos estão no álbum do festival, devidamente actualizado.
Nota final, para uma certa tristeza que este ano se apoderou do festival. Foi igual aos outros, até com melhor imagem, mas faltou público e alegria e nem sei porquê. Muita oferta? Não sei! Espero que o festival continue a dar à luz novos projectos e continue um marco de divulgação cultural, virado para juventude e para o futuro.
Até para o ano (?)