GAZUA Contracultura

No dia 18, sexta-feira, os GAZUA apresentaram no São Jorge, em Lisboa, o seu terceiro longa duração, “Contracultura”. Novas canções, a mesma atitude.
Os GAZUA são actualmente uma das melhores bandas rock portuguesas por várias razões: desde logo porque, não sendo claramente originais no som que produzem, são sem dúvida excelentes instrumentistas e fazem o…

DAPUNKSPORTIF: guitarras à solta!

Originally posted 2018-10-01 09:26:40.

DAPUNKSPORTIF ENCHERAM MUSICBOX

Sábado, dia 23 de Janeiro do corrente ano de 2010, os DAPUNKSPORTIF, estiveram no Musicbox, ali ao Cais do Sodré, em Lisboa, para um excelente momento de Rock’n’Roll. Ah pois é! Nados em Peniche, têm já no curriculum dois discos de se lhe tirar o chapéu: “Ready!Set!Go!” e “Electro Tube Riot”. Este mais apurado, mais consistente e mais “mainstream”, com um Rock, ritmado, frenético, com passadeira vermelha para as guitarras e um baixo furioso.
Já tive oportunidade de assistir a vários concertos destes “punk desportivos” e é minha opinião, que o concerto de sábado no Musicbox, foi o melhor que já vi/ouvi! Por várias razões, das quais alinhavo aqui estas:
1- O alinhamento dos temas proporcionou uma avalanche de ritmo desvairado até cerca de 2/3 do espectáculo, capaz de fazer dançar um morto. Sobressai o cuidado com que a banda de João Guincho e Paulo Franco urdiu o “set” de modo a agarrar o público “by the balls”, só largando para descansar com uma prodigiosa “cover” de “White Wedding” de Billy Idol, retomando logo a seguir a viagem vertiginosa pelos seus temas mais sonantes;
2- Todos os instrumentos soaram “enxutos” e consistentes, como deve o Rock’n’Roll: um ribombar seco e profundo no peito da audiência. O som esteve na fasquia do irrepreensível, muitíssimo perto do espectacular;
3- A banda tocou afinada, mesmo quando quis descansar e improvisar um pouco, estendendo um ou outro tema para além da sua normal duração;
4- O público encheu o Musicbox e comungou dos mesmos ideais, não direi de vida, os hippies morreram há muito, mas de festa, cerveja e rock, entoando refrães, notando-se que conhece o trabalho dos moços de Peniche.
Bom, chega.
Fui lá fotografar de equipamento emprestado, uma vez que o meu continua no estaleiro. Por falar nisso tenho que ligar lá para a J. Matos, representante da Nikon cá pelo burgo, a alertá-los de que o prazo de reparação foi há muito ultrapassado, mesmo tendo recebido 240 € adiantados. Pois é, “quem paga adiantado é mal servido”! Às vezes o povo tem razão.
Espero que gostem das fotos. Ficam na Galeria dos DAPUNKSPORTIF. Não confundam com as anteriores. Basta estarem atentos à descrição… Eu gosto!
Fica ainda um “mobile vid” de “I’ve been all over town looking for you”, que fiz entre disparos…
Stay heavy!
P.S.: prosa escrita ao som de “Sin”, dos MOTHER SUPERIOR!

I’ve Been All Over Town Looking For you

GAZUA – a união faz a força – R12

Originally posted 2018-09-27 06:47:05.

GAZUA + R12 NO IN LIVE CAFFE, MOITA, 09.05.2009

Na sexta fui a Moita. Mais uma corrida, mais uma viagem! À chegada à terra dos toiros, trazido pela brisa de final de dia, um leve cheiro a estrume! Tudo bem, é a tal terra de touradas.
O destino não era um qualquer circo de feras domesticadas atrás de quem homens e cavalos correm e farpeiam como se não houvesse amanhã, para gáudio dos adeptos do espectáculo tauromáquico.
A rota traçada levava-me ao IN LIVE CAFFE, uma sala onde se comunga da fé no Rock’n’Roll e se chamam as massas a assistir às homilias das bandas que por ali passam.
No cartaz GAZUA e R12. Lisboa e Ribatejo, não em confronto mas em comunhão e solene, que o momento esperava-se alto, cada um pregando à sua maneira a sobredita fé.
Eu sou um crente, um peregrino do rock, já o disse aqui algures, a propósito de um concerto da defunta banda THE DOLL & THE PUPPETS, que teve lugar em Torres Novas, onde os GAZUA tocarão no dia 16, no Teatro Virgínia, local sufocante e onde ao menor movimento se transpira um litro de suor! Coisas de arquitecto.
Bom, mas o que importa é o gig de sexta-feira. Valeu ou não a pena? Vejamos.
A abrir a noite os R12, uns rapazes que além de apanharem batatas, segundo dizem, e porque apanham batatas, são praticantes alucinados de um Punk Agricultor, glória do Ribatejo. Misturam Ska e Punk, e ao ouvi-los vieram-me à ideia os VOODOO GLOW SKULLS, uma vez que além das guitarras têm um moço que sopra, ou bufa como se diz no norte. Bufa num trompete (se não é corrijam-me aqui rapazes, porque, em rigor, só há um instrumento que conheço bem: o meu). Editaram um LP (deixem-me dizer assim, à antiga), BOLETIM AGRÁRIO, o qual teve uma excelente receptividade por parte da crítica, seja lá o que isso for, da especialidade.
Em palco demonstraram o músculo do que tocam. Outra coisa não seria de esperar para quem tanta experiência tem na apanha de tubérculos. Misturando o Punk com o Ska variam entre os tempos rápidos e a distorção da guitarra e instrumentação mais desenvolvida e vozes mais limpas. As letras são, em simultâneo, corrosivas, assumidamente políticas e satiricamente incorrectas. A mistura é explosiva. BUM! Fiquei fã. Não tenho o “BOLETIM AGRÁRIO”, mas aceito doações, que não contam para IRS.
Os GAZUA são um “power trio”, cujos elementos têm já uma grande rodagem no mundo do Rock’n’Roll. Se quiserem dizer que tocam Punk Rock, por mim está bem. É um rótulo. Os GAZUA para lá do som “raw” que produzem juntam à mezinha letras com nítida crítica social, aliás apanágio do Punk, que aludem a ideias que os tempos foram colocando, indevidamente, fora de moda: a união, a construção daquilo em que acreditamos, a luta por melhores condições de vida, a intervenção social que se espera de cada um de nós e não a apatia diária com quem nos cruzamos na rua.
Os riffs de guitarra são bem construídos, soam bem, melódicos e dá vontade de os ouvir repetidamente. Os GAZUA editaram já, à sua conta, CONVOCAÇÃO e MÚSICA PIRATA (aceito doações).
Como não tenho o pirata, estou desde as 10 horas da manhã a ouvir em loop a CONVOCAÇÃO e idolatro o riff inicial do tema Sair da Escuridão, o qual condensa bem o espírito da banda e o seu grito de revolta perante a apatia social do rebanho em que todos nos tornámos. Assim, os seus fãs o entendam e usem a gazua para abrir as portas do conhecimento e do discernimento.
Da noite ficam as fotos. Acedam à Galeria clicando nas fotos aqui do texto.
Ok! Enough!
See ya!

GAZUA

Gazua lideram top 12

Como neste momento me apetece dizer qualquer coisa e até tenho a possibilidade, vaga é certo, de alguém me ouvir (leia-se ler), digo-vos que nas nem sei quantas galerias fotográficas existente em arlindopinto.com, abaixo estão as que se contam no TOP 12. 12 porque à dúzia é muito mais barato e são os que têm neste momento mais do que 500 visitantes únicos!

THE PROFILERS, veni vidi vinci!

Originally posted 2018-07-07 12:51:40.

THE PROFILERS, NO MUSICBOX, 15.10.2009

THE PROFILERS! Aqui estou de novo escrevendo sobre eles e sobre as fotografias que obtive no dia 15 deste mês de Outubro no Musicbox. Foi, eventualmente o último concerto dos PROFILERS, de 2009. On verra!
Nem sempre é fácil escrever sobre aquilo de que gostamos. Receamos as palavras. Que não sejam as certas, que melindrem, que enalteçam em demasia os sujeitos, que em demasia os enobreçam. Não sei…
O facto é que de banda meia “ajazada”, de que tomei conhecimento via MySapce, após uma tal de San me ter enviado um e-mail pedindo uma morada para me enviar uma demo desta banda dos lados de Sintra, que, aliás, nunca chegou (shame on you San), a um grupo musical que toca e nos toca com influências das mais variadas, algum tempo passou: ganharam concursos, editaram um disco e dão concertos aqui e em Espanha e onde mais os quiserem. Além do prazer de os ouvir, no palco ou em casa, tenho dos PROFILERS fotografias a dar com um pau. Mas tenho também, creio não errar se o disser, a sua amizade, que retribuo e que é tão ou mais importante do que a sua música, de que, aliás, sou fã!
Na verdade, tiveram um inicio de carreira brilhante.
Na quinta-feira passada, estiveram no Musicbox, já disse, sem dois dos seus elementos, como a própria banda já tinha anunciado no Facebook. O que os desligou, sem ressentimentos, foi o amor à arte, à música, tal como os tinha unido: como sói dizer-se amigo não empata amigo e muito menos se é em prol do Rock’n’Roll.
Veremos o que nos traz esta formação reduzida dos PROFILERS, que soa mais coesa, inequivocamente centrada em evoluir em diferentes direcções, ao sabor da inspiração, disposta a cunhar o seu estilo muito próprio.
Seja como for, eu é que aqui vos trago mais 79 fotografias para juntar às 170 que os PROFILERS têm já na galeria do 70-200.net. Um dia destes têm que começar a pagar alojamento!!!
Poderão perguntar, ou melhor, afirmar, que para uma foto reportagem bastam meia dúzia de fotos. Para quê tanta coisa?
A resposta para mim é simples: eu não engano! Sou como o algodão! Muitos poderão mostrar a SUA fotografia e todos se deslumbrarão com ela. Ok! Fixe! Eu mostro muitas, porque as sei fazer bem, às dezenas.
Esta reportagem dos PROFILERS é, no seu cômputo geral, uma das que fiz que mais me agrada: pelo movimento, pela cor, pelos enquadramentos, etc., etc., etc.
But enough already…
Daqui vai um abraço forte para todos os actuais e antigos PROFILERS e um obrigado àqueles que, de alguma forma, me apoiam no meu trabalho fotográfico e fazem o favor de gostar das minhas fotos.
See ya!

PS: se nada disto fizer sentido, é normal!

PPS: clicar para ir!