O Santo Graal!

Originally posted 2015-02-04 00:13:47.

Go Graal Blues Band - The fault is her own Talvez existam os milagres! Pessoalmente, no caso concreto, poderia até dizer que não acredito neles, mas que eles acontecem, lá isso acontecem! Muitas vezes andam até de braço dado com as desgraças. Senão atente-se: a escravatura, facto lamentável, associado à também, bastas vezes, não menos lamentável história da América do Norte, destilou, sobretudo após a guerra civil americana (esta será mote para audições futuras), o milagre dos “blues”, o vocabulário básico do “rock”. Aqui está a prova que era necessária para confirmar a ocorrência de milagres e a sua ligação inevitável às maiores desgraças da humanidade. Por exemplo, a Virgem apareceu aos pastorinhos, quando no país se vivia, ao que sei, uma desgraça ainda maior do que a actual… A confirmar esta mesma desgraça, está outro facto histórico: o de que as novas tendências, seja em que domínio fôr, chegam ao nosso jardim à beira mar plantado (votado à extinção segundo as últimas previsões da UE, no que toca à emissão de poluentes) cerca de 20 anos depois do facto consumado, ou melhor, consumido, noutros locais do planeta. Não será bem assim, mas que importa, temos o hábito de nos desgraçarmos com afirmações destas, que há-de fazer-se.
No início do gloriosos (para alguns) anos 60, os candidatos a famosos da música popular da América e da Europa, “descobriram” os blues! E depois foi o que já se sabe: a música popular nunca mais foi a mesma!
Em Portugal ter-se-ão produzido alguns exemplares de candidatos a “bluesmen”, nessa época. Mas não se produziu o verdadeiro som. É! Aquele que resulta tanto da alegria do amor correspondido, como da dor abafada pelo bourbon, whisky, alcoól etílico (em certos casos qualquer coisa serve) ou mesmo uma miserável (pelo baixo teor alcoólico) cerveja, que soa em bares escondidos, por entre fumaradas intensas de tabaco ordinário e mulheres à procura de companhia. Aliás, todos andamos à procura de companhia.
O som que interessa para o caso e que hoje ouço aqui, é dos únicos “verdadeiros artistas” da “bluzada” nacional, parido em 1979 (lá estão os 20 anos), por um grupo a que chamaram “Go Graal Blues Band”. Sim, esse onde militava o Paulo Gonzo, só que com mais cabelo!
No meio disto tudo, o que é que os milagres têm a ver com isto? É que a mim aconteceu-me, sem que tenha sequer feito uma promessa à Virgem de Fátima: caiu-me nas mãos um exemplar deste fabuloso registo! Quem porfia sempre alcança. Há 25 anos que sonhava tê-lo na mão (o disco). Mais do que ouvi-lo, porventura, porque o conteúdo já o sabia de trás para a frente. Estes espécimes, basta tocá-los para se saber que ali está tudo o que interessa.
Tinha falta desta injecção de vinyl. Malfadadmente, o milagre tem os dias contados: é emprestado… Mas não sai daqui sem que um CD lhe sinta a cadência!
Não creio em Deus, ou no Filho, tal como a história o apresenta, mas de uma coisa estou certo: o Santo Graal existe!
Beba dele quem puder!

9 thoughts on “O Santo Graal!

  1. ~Tenho andado à procura de documentação e comentarios acerca do inicio da Go Graal, Descobri esta página e gostei

  2. Óh pá!
    Há quanto tempo aguardava poder reouvir o 1º álgum dos Go Graal….
    Esta noite p´ra mim tu foste o maior…
    Obrigado.

  3. Aqui têm. Com os melhors cumprimentos deixo-vos aqui a discografia COMPLETÍSSIMA dos Go Graal, desde o álgum mais importante ao single menos significativo, maxis e EPs incluídos.
    É só descarregar e estão servidos 🙂
    Cumprimentos
    Nónio

  4. Pois é! É que não há em parte nenhuma. Só por milagre se consegue gravá-lo em CD, que foi o caso.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.